Um grupo de designers norte-americanos produziu umas sapatilhas com água benta do Rio Jordão na sola — para que quem as usa possa “andar sobre a água” tal como Jesus Cristo no relato bíblico — e vendeu-as por 3 mil dólares.

As sapatilhas em causa, que já estão esgotadas, são feitas a partir de um dos modelos mais famosos do mundo, as Nike Air Max, e foram compradas pelos próprios designers numa sapataria a preço de retalho. A marca não se envolveu no processo de criação dos “Jesus Shoes” — que, aliás, são uma forma de ridicularizar as colaborações entre marcas, segundo explicou ao New York Post Daniel Greenberg, responsável do grupo MSCHF.

Os designers compraram cerca de 20 pares de sapatilhas e redesenharam-nas para criar os “Jesus Shoes”, que incluem não apenas a sola com água benta do Rio Jordão — mesmo benzida por um padre —, mas também um crucifixo nos atacadores, o desenho de uma gota de sangue e ainda a inscrição INRI (“Jesus, Nazareno, Rei dos Judeus”, a sigla que teria sido colocada por cima da cabeça de Jesus na crucificação). Os cerca de 20 pares foram colocados à venda na terça-feira e esgotaram em poucos minutos — e foram vendidos a preços que ultrapassaram os 3 mil euros.

A inspiração chegou de uma outra iniciativa de colaboração, entre a Adidas e a Arizona Iced Tea. “Eles vendem sapatos que publicitam uma empresa de bebidas que vende chá gelado em bares. Queríamos fazer um statement para mostrar o quão absurda esta cultura das colaborações se tornou”, explicou Daniel Greenberg, acrescentando que foi daí que partiu a ideia de fazer uma “colaboração com Jesus Cristo”. “Enquanto judeu, a única coisa que eu sabia é que ele tinha andado por cima de água”, disse Greenberg.

Um amigo israelita ajudou com a água do Rio Jordão, um padre tratou da bênção, e a versão adaptada das sapatilhas está agora a ser vendida a altos preços através da internet. Às 11h da segunda e da quarta terças-feiras de cada mês, a marca coloca novos pares à venda.