Foi divulgado esta sexta-feira o programa completo do Encontro Internacional Malcolm Lowry, que se vai realizar este ano em Lisboa. Esta é a primeira vez que o evento organizado anualmente pela Fundación Malcolm Lowry acontece fora do México, onde surgiu em 2001 graças a um grupo de entusiastas interessados em reunir a comunidade lowryana e divulgar a obra do escritor inglês, autor de Debaixo do Vulcão.

O programa do XIV encontro, que vai acontecer nos dias 30 e 31 de outubro, na Biblioteca Municipal Camões, no Chiado, inclui conferências, mesas-redondas, exposições, o visionamento de filmes e documentários e apresentações de livros, assim como a participação de especialistas portugueses, como Miguel Martins ou Ana Isabel Soares, e estrangeiros, como o mexicano Alberto Rebollo, o inglês Nigel Foxcroft ou o norte-americano Stephen Cooper. A abertura está marcada para as 15h de 30 de outubro, e contará com a presença de Marcelo Teixeira, Félix García e Jennifer Feller, Encarregada de Negócios da Embaixada do México em Portugal.

Para o primeiro dia, está também agendada a conferência “The Kaleidoscopic Vision of Malcolm Lowry: Souls and Shamans”, de Nigel Foxcroft (15h15), a mesa-redonda “Malcolm Lowry poeta”, com Ana Isabel Soares, Lauren Mendinueta e Manuel da Silva Ramos (16h30), e a apresentação do livro An Ofrenda to “Under the Volcano”, de Stephen Cooper (18h), entre outras iniciativas, todas de entrada livre.

O segundo dia do encontro internacional vai começar mais cedo, pelas 10h, com a conferência “Chemins qui ne mènent nulle part”, de Daniel Leuwers, seguido do visionamento de um excerto do documentário “Día de Muertos en Amilcingo”, de Emiliano Menéndez. Pelas 11h, haverá uma pausa para Mescal e, depois, a conferência “Día de Muertos”, de Mercedes Pedrero. A mesa-redonda “Debaixo do Vulcão: um livro para levar para uma ilha deserta” (12h) terá a participação de Mário de Carvalho, Ana Cristina Leonardo, José Mário Silva e Stephen Cooper. O encerramento vai acontecer às 18h, depois da leitura de “Debaixo do Azul, sobre o Vulcão”, do poeta madeirense José Agostinho Baptista.

Malcolm Lowry nasceu num verão quente de 1909, na Península de Wirral, no noroeste de Inglaterra. Morreu a 26 de junho de 1957, aos 57 anos, numa aldeia em Sussex. A sua vida, marcada por um graves problemas de alcoolismo, está cheia de histórias inacabadas, publicadas posteriormente pela mulher, Margerie Bonner. Apesar da qualidade de alguns destes rascunhos, nenhum deles chega sequer perto de Debaixo do Vulcão, ao qual Lowry dedicou dez anos da sua vida. A obra, uma das poucas que o inglês conseguiu acabar, assombrá-lo-ia até ao fim dos seus dias.

O romance conta a história trágica Geofffrey Firmin, um ex-cônsul britânico, residente em Cuernavaca, alcoólico e incapaz de reagir perante os problemas. Foi publicado originalmente em fevereiro de 1947 e o sucesso foi imediato. Anthony Burgess, autor de Laranja Mecânica, chamou-lhe “uma obra-prima faustiana” e Dylan Thomas, que Lowry tinha conhecido nos anos 20 em Londres, descreveu-o como “uma profecia, um aviso político, um criptograma, um filme absurdo e uma frase na parede”. Entre os críticos, Malcolm Lowry foi aclamado como sucessor de James Joyce.

Debaixo do Vulcão (publicado em Portugal pela Relógio d’Água) é hoje considerado um dos mais importantes romances modernistas do século XX.

O programa completo do XIV Encontro Internacional Malcolm Lowry, pode ser consultado aqui.