De acordo com Steve Nordlund, vice-presidente da Boeing Next, o departamento da companhia aeronáutica que está a desenvolver veículos voadores com descolagem e aterragem verticais, assinou um acordo com a Porsche no sentido de, juntos, desenvolverem um carro voador topo de gama. Tudo porque ambos acreditam que, a partir de 2025, a necessidade e a legislação vão permitir que este tipo de veículos descolem. Comercialmente, é claro.

A Boeing há muito que está a trabalhar num projecto de carro voador, tendo realizado um voo inaugural com o seu modelo, que mais parece um grande drone, em Janeiro deste ano. Especialista em todo o tipo de máquinas voadoras, de aviões comerciais a modelos militares, passando por naves espaciais, não é propriamente difícil para a empresa americana conceber um veículo que consiga voar. Mas o seu objectivo, neste caso, é conceber um PAV (passenger air vehicle) eléctrico e autónomo, capaz de evitar as filas de trânsito e as consequentes perdas de tempo. O seu actual PAV tem 9,14 metros de comprimento, 8,53 m de largura e é capaz de voar 80 km sem ter de reabastecer, ou seja, recarregar as baterias.

O novo acordo com a Porsche prevê a concepção de um veículo voador mais premium, sempre com descolagem e aterragem verticais, para poder ser utilizado em todo o lado. Aos engenheiros da Boeing juntam-se, assim, os técnicos da Porsche Engeneering Services e do Studio F.A. Do lado da Porsche, o director de Vendas e Marketing Detlev von Platen confirmou o desejo deste fabricante do Grupo Volkswagen de tornar-se uma marca de mobilidade premium, desta vez reforçando o conceito com uma terceira dimensão.

A parceria libertou algumas imagens, para os fãs de ambas as marcas – e desta classe de veículos – poderem começar a dar asas à sua imaginação. Mas não é evidente a forma como o aparelho se irá locomover, uma vez que não há hélices e os aparentes reactores na traseira nunca conseguirão permitir descolagem e aterragem vertical. Nem que o modelo circule em estrada, tal a sua “generosa” largura.