A Rússia anunciou esta terça-feira que algumas das suas unidades estão a patrulhar a região norte da Síria, numa faixa de terreno entre as forças sírias e turcas. A manobra poderá representar uma posição de força de Moscovo face à súbita perda da influência dos Estados Unidos na zona, alterando o equilíbrio de poder na região durante a semana que passou, escreve o New York Times.

As autoridades curdas, ao serem abandonadas pelas tropas americanas a mando de Donald Trump e devido à rápida perda de território que se fez notar, procuraram proteção junto da Rússia, que rapidamente preencheu o espaço deixado pelos EUA.

A Rússia envia tropas para impedir o avanço do governo sírio e das forças turcas no nordeste da Síria e promete que trabalhará para impedir que ambos os lados lutem”, garante o Ministério da Defesa russo, segundo a Associated Press News

Alexander Lavrentyev, enviado especial da Rússia, disse às agências noticiosas russas que não é do interesse de ninguém que haja uma guerra entre as tropas do governo sírio e as forças turcas. O Ministério da Defesa russo avançou ainda que as forças estão a patrulhar “as fronteiras do noroeste do distrito de Manbij ao longo da linha de contacto dos militares da República Árabe da Síria e dos militares turcos”.

Foram partilhados na internet vídeos nos quais, adianta o New York Times, se pode ver um homem russo no território recentemente evacuado pelas tropas dos EUA, no qual se inclui uma base militar americana.