É engraçada para uns, cruel para outros. É a vida, mas também é a morte. A fotografia que mostra a luta pela sobrevivência de uma raposa a caçar uma marmota — e de uma marmota que tenta fugir, sem sucesso, de uma raposa — ganhou o concurso Wildlife Photographer of the Year, um dos mais prestigiados do mundo. A imagem foi captada por Yongqing Bao na China.

É raro conseguir fotografias no Planalto do Tibete, onde esta imagem foi captada, indica o comunicado de imprensa do Museu de História Natural, que organiza o concurso. E esta vem mesmo a tempo de recordar o problema das alterações climáticas que está a afetar aquela região chinesa: “A área em que a foto foi tirada, rica em enormes reservas de água, está ameaçada por elevações dramáticas da temperatura. Numa época em que habitats preciosos enfrentam crescentes pressões climáticas, ver esses momentos fugazes mas fascinantes lembra-nos o que precisamos proteger”, alertou Michael Dixon, diretor do museu.

No ramo do concurso reservado a jovens fotógrafos, o prémio foi entregue a Cruz Erdmann, de 14 anos. Cruz fotografou um casal de lulas de recife bigfin ao iniciarem um ritual de acasalamento nas águas do Estreito de Lembeh, na Indonésia, e a apenas três metros de profundidade. As zonas coloridas do corpo das lulas são usadas pelos machos para atrair as fêmeas.

Todas estas fotografias vão estar em exposição no Museu de História Natural em Londres a partir de sexta-feira. Pode vê-las na fotogaleria.