O surfista português Miguel Blanco ficou esta sexta-feira no segundo lugar na primeira bateria da ronda de eliminação, vencida pelo australiano Owen Wright, assegurando a passagem à ronda três na prova da elite mundial, em Peniche.

Blanco, de 23 anos, somou 9,87 pontos, abaixo dos 10,96 de Owen Wright, número sete do ranking da Liga Mundial de Surf (WSL), mas acima dos 6,60 do neozelandês Ricardo Christie, que assim se despede desta competição.

“Tentei meter um score cedo e o 5,50, no início, deu-me mais conforto na bateria. O mar está difícil, o vento norte ainda não entrou. Mas estou a sentir-me bem e pronto para a próxima ronda”, disse aos jornalistas Miguel Blanco, no final da bateria.

Frederico “Kikas” Morais, o português com melhor ranking mundial (sexto no circuito de qualificação e 34.º no circuito principal), também vai disputar a ronda da eliminação, onde vai enfrentar o australiano Ryan Callinan e o brasileiro Jesse Mendes na terceira bateria, enquanto Vasco Ribeiro, antigo campeão mundial júnior, assegurou na quinta-feira a passagem direta à ronda três.

A ação de esta sexta-feira na Praia dos Supertubos arrancou com a ronda de eliminação da prova feminina, com a norte-americana Lakey Peterson (número dois do mundo) a garantir um lugar na próxima fase, depois de ter sido surpreendentemente relegada para a repescagem na quinta-feira.

Ao passar em primeiro na bateria, com 12,67 pontos, batendo a australiana Keely Andrew (6,33) e a havaiana Alana Blanchard (5,34), que era convidada da WSL, Lakey Peterson mantém viva a luta pelo título mundial, tentando encurtar distâncias para a havaiana Carissa Moore, que é a líder do quadro feminino.

A segunda bateria da ronda de eliminação feminina não se realizou, devido a lesão da havaiana Malia Manuel, que a forçou a desistir da prova de Peniche, pelo que as suas adversárias, a brasileira Tatiana Weston-Webb e a neozelandesa Paige Hareb, asseguraram a passagem à próxima fase.