A ainda presidente da Assembleia Municipal de Lisboa, Helena Roseta, desafiou na quinta-feira a autarquia lisboeta, liderada pelo PS, a criar “um programa metropolitano para a habitação”.

Helena Roseta falava num jantar marcado com o movimento Cidadãos por Lisboa, que fundou em 2007, para anunciar a sua renúncia aos cargos de presidente e deputada da Assembleia Municipal de Lisboa no final do mês.

Helena Roseta renuncia aos cargos na autarquia de Lisboa. “Vou mudar de vida”

“O problema da habitação em Lisboa não se resolve só em Lisboa”, considerou a arquiteta de 71 anos, defendendo a necessidade de “criar uma ferramenta que ainda não existe, que é um programa metropolitano para a habitação.

Tem de haver aqui uma convergência de esforços como houve para a mobilidade. Lisboa também se adiantou e conseguiu encontrar um acordo e um consenso para mudar o valor dos passes e muita coisa no transporte público, que tem de haver para a habitação”, acrescentou Helena Roseta (Cidadãos por Lisboa, eleita na lista do PS).

No final do jantar, em declarações à agência Lusa, a vereadora da Habitação, Paula Marques (Cidadãos por Lisboa, eleita pelo PS), afirmou que “faz sentido olhar para essa visão metropolitana”, acrescentando que “é um desafio muito bom, nomeadamente para o presidente da área metropolitana”.

No entanto, Paula Marques ressalvou que essa estratégia “não pode ser vista só cidade a cidade” e que é “importante outros municípios terem também política de habitação”. “Tem de haver um equilíbrio entre os vários municípios e tem de haver mais-valia social para todos os munícipes”, destacou a vereadora.