O Tribunal de Aveiro condenou esta sexta-feira a penas de prisão efetivas e suspensas 42 dos 52 acusados num megaprocesso relacionado com uma rede tráfico de droga que operava a partir de um acampamento situado em Albergaria-a-Velha.

Dos 52 arguidos, 10 foram absolvidos, 13 condenados a penas efetivas entre dois anos e três meses e 10 anos de prisão, e 29 punidos com penas suspensas entre um ano e três meses e três anos e nove meses.

Em causa, no processo que começou a ser julgado em janeiro deste ano, estavam crimes de tráfico de droga, tráfico e mediação de armas, detenção de arma proibida, associações criminosas e branqueamento.

Durante a leitura do acórdão, o juiz presidente disse que resultou provada a atividade de tráfico de droga e de armas para alguns arguidos, bem como a detenção de arma proibida. Os arguidos foram ainda absolvidos dos crimes de associação criminosa e branqueamento e foram declarados perdidos a favor do Estado 45.500 euros.

No centro do processo estava uma família do acampamento do Fial, em Albergaria-a-Velha que, segundo o Ministério Público (MP), se dedicava ao tráfico de estupefacientes e de armas de fogo, pelo menos desde 2002. A acusação refere que com a fuga do patriarca para Espanha, em 2010 após praticar crime de homicídio, foi a matriarca quem assumiu definitivamente o topo da hierarquia familiar na atividade do tráfico de estupefacientes.

O coletivo de juízes não deu, no entanto, como provado que a mulher, de 54 anos, tivesse a cargo a orientação dos negócios do tráfico e das armas, pelo que foi absolvida. Contudo, quatro dos seus filhos foram condenados com penas de prisão efetivas e uma filha e uma neta apanharam penas suspensas.

De acordo com a investigação, os arguidos escondiam a droga em buracos nos terrenos e matas adjacentes ao acampamento, de onde o retiravam à medida que necessitavam para vender, e chegavam a utilizar menores para ir buscar o produto estupefaciente ao local onde se encontrava ocultado.

A rede foi desmantelada em julho de 2017, durante uma megaoperação de combate ao tráfico de estupefacientes, que envolveu a realização de cerca de 40 buscas nos distritos de Aveiro, Braga, Coimbra, Leiria, Lisboa, Porto, Setúbal e Viseu.

Durante a operação, foram apreendidas centenas de doses de heroína, cocaína, ‘crack’ e plantas de canábis, além de 14 armas de fogo, diversas armas brancas, carregadores e mais de mil munições. Foram ainda apreendidos três veículos, 12.400 euros em numerário, peças em ouro furtadas e diverso material utilizado para a atividade criminosa.