A empresa Geomiq, sediada em Londres, está a pagar 100.000 libras (aproximadamente 116.190 euros) a quem ceder os direitos do seu rosto para que seja recriado em robôs.

A proposta é no âmbito de um projeto de engenharia que procura construir robôs que funcionem como companheiros para cidadãos de terceira idade. O prémio é único e será pago à cara escolhida para o robô. “É uma oportunidade única na vida para a pessoa certa. Esperamos encontrá-la”, disse um porta-voz da Geomiq ao The Mirror.

A produção será iniciada a partir do próximo ano e não deve demorar muito até que estes novos “companheiros” estejam disponíveis para compra, avançou a mesma fonte, acrescentando que, “neste ponto não estamos autorizados a revelar mais detalhes sobre o projeto, mas esperamos que alguém com a cara certa entre em contacto”.

O La Vanguardia avança que este é um projeto com mais de cinco anos de existência e que recolheu fundos através de investidores de capital de risco e de um fundo sediado em Shangai.

Os responsáveis da empresa esperam que o impacto mediático gerado pela campanha, levada a cabo em todo o mundo, contribua positivamente para futuras encomendas. Por isso mesmo, e porque encontrar a cara certa é deveras importante para o sucesso do produto, o cachê é de cerca de 116.000 euros. A empresa de engenharia por trás dos robôs não é conhecida e prefere manter o anonimato pela natureza do projeto.

Para submeter uma proposta de rosto para o robô basta aceder ao site da Geomiq e submeter a informação necessária.

Nas redes sociais já se reage à campanha. O jornalista de tecnologia inglês, Rowland Manthorpe, chamou-lhe no Twitter “um mau argumento para um filme de ficção cientifica”.