O presidente da Aliança Democrática, líder da oposição na África do Sul, anunciou a sua demissão, abalando os esforços do partido para afastar a sua imagem do partido liberal como representando a minoria branca do país.

“Abandono hoje as minhas funções como chefe do partido”, disse à imprensa Mmusi Maimane, o primeiro líder negro do partido, que denunciou “ataques coordenados” de uma franja do partido à sua política a favor da maioria pobre do país, em detrimento da base tradicional de apoio, a minoria branca.

Maimane, que liderava a Aliança Democrática (DA, na sigla original) desde 2015, também via a sua liderança atacada desde o regresso da antiga responsável do partido Helen Zille, uma branca que motivou críticas após ter sugerido que o colonialismo não era totalmente mau, e que encabeçou a vaga de fundo contra o presidente do partido.

“Nestes últimos meses, tornou-se evidente que existia no seio da DA um grupo que não concordava comigo, com a direção que conduzia o partido”, lamentou, apontando o dedo a “uma campanha” para o denegrir e difamar. E concluiu: “É, portanto, com tristeza, mas para continuar o meu combate pela política na qual eu acredito e pelo país que eu amo que abandono as minhas funções de líder da DA”.

No início da semana, Herman Mashaba, autarca de Joanesburgo, o principal centro económico do país, apresentou a sua demissão, denunciando também “um grupo de pessoas” no seio do partido “que pensam que a raça não é um critério pertinente no debate sobre as desigualdades e a pobreza na África do Sul”.

Sob a liderança de Mmusi Maimane, a Aliança Democrática alcançou um sucesso histórico nas eleições locais, conquistando ao Congresso Nacional Africano (ANC) a liderança de vários municípios icónicos, incluindo Joanesburgo e a capital política da África do Sul, Pretória.

No entanto, o partido sofreu um revés em maio, durante as eleições gerais, quando conquistou apenas 20,6% dos votos. O ANC, do líder histórico Nelson Mandela, venceu as legislativas, mas com o pior resultado da sua história, com 57,8% dos votos.