O presidente da RTP, Gonçalo Reis, garantiu que a televisão pública tem “colaborado abundantemente” no processo de integração dos precários na empresa.

Em declarações à agência Lusa, durante a celebração dos 60 anos da RTP no centro de produção do Porto, em Vila Nova de Gaia, o responsável salientou que a RTP “tem colaborado abundantemente com todo o processo do PREPVPAP [Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na Administração Pública]”, recordando que existem “outras instâncias” responsáveis pela decisão de integrar os precários, como a Comissão de Avaliação Bipartida (CAB). “Já integramos 120 pessoas e há outras situações que estão a ser analisadas pela CAB”, realçou o presidente da RTP.

No dia 17 de outubro, um grupo de mais de 50 precários da RTP indicaram, em comunicado, que continuam a aguardar a integração nos quadros da empresa pública, lamentando a falta de “respeito e consideração” por parte do Governo, nomeadamente, a ausência de esclarecimentos do Ministério das Finanças.

“Acabou-se a legislatura e os 51 precários da RTP […], que têm desde março todas as condições reunidas para que o Governo cumpra a lei e homologue os seus processos, continuam à espera. Tantos meses e tantas mentiras depois, continuam à espera”, indicou, em comunicado, o grupo de trabalhadores.

Estes funcionários inscreveram-se no Programa de Regularização Extraordinário dos Vínculos Precários na Administração Pública (PREVPAP) e, posteriormente, foram aprovados pela CAB, que confirmou tratarem-se de falsos recibos verdes.

Questionado pela Lusa sobre a renovação do contrato de concessão da RTP, Gonçalo Reis lembrou que o instrumento atualmente vigente foi assinado em 2015 e “está dentro” da janela para ser renovado, mas não adiantou mais nenhuma informação.

A Lusa também questionou Gonçalo Reis sobre a escolha de Nuno Artur Silva, que foi administrador da RTP, tendo saído por alegados conflitos de interesses, por ter uma participação nas Produções Fictícias, para a secretaria de estado do Cinema, Audiovisual e Media, mas o presidente, de cuja administração Nuno Artur Silva fez parte, não quis comentar a questão.

“Hoje estou a falar dos 60 anos da RTP Porto e estamos a fazer estas comemorações com conteúdo”, destacou, dando conta de uma exposição sobre o canal e de um livro com testemunhos.

“Já recebemos mais de 500 pessoas do público em geral” nas instalações da televisão pública, salientou.