A Liga Espanhola de Futebol confirmou esta quinta-feira que vai interpor ações judiciais e administrativas, sem pedir medidas cautelares, contra a decisão da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) de marcar 18 de dezembro o FC Barcelona-Real Madrid.

O organismo entende que a decisão do Comité de Competições da RFEF causa “um dano irreparável ao futebol espanhol” e afirma querer garantir a “defesa dos direitos dos clubes e SAD’s” seus associados, “exigindo responsabilidades civis às instituições e pessoas intervenientes na decisão”.

Em comunicado, a liga considera que a decisão viola o regulamento de comercialização conjunta dos direitos audiovisuais, os compromissos com os operadores televisivos e a integridade da própria competição.

A data inicial para o jogo da 10.ª jornada da Liga espanhola de futebol era a de 26 de outubro em Camp Nou, mas a tensão social política que se vive na Catalunha, levou a uma proposta de adiamento.

A liga chegou a admitir a inversão do jogo, transferindo o mesmo para o Santiago Bernabéu, mas os regulamentos da RFEF não o permitem, e os clubes não se mostraram agradados com a ideia, propondo em conjunto a data de 18 de dezembro.

O Supremo Tribunal espanhol condenou, em 14 de outubro, os principais dirigentes políticos envolvidos na tentativa de independência da Catalunha a penas que vão até um máximo de 13 anos de prisão.

A sentença motivou protestos independentistas, que começaram no próprio dia do anúncio do Supremo e se repetiram ao longo de vários dias em Barcelona e em outras cidades da região autónoma, levando a cerca de 200 detenções.