Ana Avoila vai deixar a liderança da federação de sindicatos da administração pública da CGTP, após 13 anos no cargo. A notícia é avançada pelo Jornal de Negócios esta sexta-feira, com base numa resposta dada pela própria ao jornal.

“Vou deixar a minha vida de sindicalista”, disse Ana Avoila, “mas não vou ficar parada em casa”. “Há muita coisa para fazer”, acrescenta Ana Avoila, que se licenciou em Direito nos últimos anos.

A saída de Ana Avoila deve-se ao facto de haver um limite de idade para os dirigentes que podem pertencer à comissão executiva da CGTP — Ana Avoila fez 66 anos e cinco meses em setembro.

Sai da coordenação da Federação e, também, da Frente Comum, que negoceia diretamente com o Governo e que irá lidar com a equipa do novo Ministério da Administração Pública, da ministra Alexandra Leitão.

“O primeiro-ministro não ganhou a guerra”, diz Ana Avoila