Desde 14 de outubro, altura em que a EMEL começou a remover trotinetes e bicicletas mal estacionadas nas ruas de Lisboa, a empresa pública de mobilidade já recolheu mais de 100 veículos das ruas da capital portuguesa. Em comunicado, a empresa indica que deu início a este serviço de remoção com o objetivo de “melhorar a mobilidade urbana e assim preservar a qualidade de vida de quem vive, trabalha e circula na cidade”.

As trotinetes e bicicletas são recolhidas por duas equipas que se deslocam numa viatura caracterizada, entre as 8h30 e 19h30. De seguida, cabe às empresas responsáveis pelos veículos fazerem a sua recolha do local onde ficam armazenadas.

A empresa acrescenta ainda na nota enviada que este serviço de remoção é focado em determinadas localizações da cidade, como os bairros históricos e a baixa de Lisboa, os lugares destinados a pessoas com mobilidade reduzida, paragens de autocarros, passadeiras e respetivos acessos, passeios que impeçam ou dificultem a circulação pedonal e também a entrada de edifícios ou garagens.

O problema do estacionamento indevido das trotinetes elétricas é uma das grandes críticas apontadas ao comportamento dos utilizadores, desde que estes aparelhos entraram na capital portuguesa. Para tentar reduzir a situação, a Câmara Municipal de Lisboa decidiu implementar este ano algumas regras, como é o caso do estacionamento proibido nas zonas históricas da cidade — a zona vermelha.

Além disso, também a Polícia Municipal começou a recolher as trotinetes mal estacionadas e a multá-las por estarem em cima do passeio, da mesma forma que o fazem com carros e motas. A autarquia divulgou que, entre fevereiro e junho, as autoridades cobraram 17.145 euros em coimas por trotinetes mal estacionadas e removeram 1.820 veículos do centro da cidade nos últimos cinco meses.

Neste momento existem nove empresas de trotinetes a circular em Lisboa: Lime, Voi, Circ, Bird, Hive, Tier, Bungo, Wind e Frog. Já quanto às bicicletas, há dois serviços de bicicletas elétricas a atuar em Lisboa: as Gira e as Jump, da Uber.