Portugal vai ter duas vagas nas provas de estrada dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, de acordo com o ranking esta sexta-feira publicado pela União Ciclista Internacional (UCI).

Na 23.ª posição da hierarquia mundial, Portugal apenas apura dois ciclistas para a prova de fundo e um para o contrarrelógio, ficando a dois postos de garantir mais uma vaga. O oitavo lugar de Nelson Oliveira no contrarrelógio dos Mundiais de 2019 permite a Portugal ter mais uma vaga nessa especialidade, apresentando pela primeira vez dois ciclistas nesta prova.

Esta será a participação mais curta de Portugal em Jogos Olímpicos, desde Atlanta1996, quando uma seleção portuguesa voltou a participar no evento, 36 anos depois da estreia em Roma.

Em Pequim2008, apenas dois ciclistas estiveram na prova de fundo, embora Portugal tivesse direito a três, mas Sérgio Paulinho desistiu a poucos dias da prova, acabando por não ser substituído. Paulinho tinha conseguido quatro anos antes a única medalha do ciclismo português, ao conquistar a prata em Atenas2004, atrás do italiano Paolo Bettini.

Há quatro anos, no Rio de Janeiro, Portugal esteve representado por quatro elementos, com Rui Costa a terminar no 10.º lugar.