Bruno Lage assumiu hoje que o nível exibicional do Benfica tem sido “irregular” em 2019/20 e realçou que cabe à equipa de futebol “encontrar soluções” para dar a volta a uma situação que “acontece em todo o mundo”.

Já perto do final da conferência de imprensa de antevisão da visita ao terreno do Tondela, no domingo, o técnico ‘encarnado’ lamentou que o foco do futebol esteja “mais centrado no espetáculo do que na saúde dos jogadores”, mas rejeitou desresponsabilizar o grupo pela exigência do calendário.

“Se os jogos fossem de quatro em quatro dias, metade destas lesões não aconteciam”, garantiu o técnico campeão nacional, depois de admitir que “o relvado” e a “ausência de jogadores importantes” também não ajuda à regularidade exibicional.

Relativamente ao ‘tapete’ do Estádio da Luz, Lage sublinhou que só se referiu a esse aspeto depois de os jogadores do Lyon o fazerem, na quarta-feira, após o jogo da Liga dos Campeões, e referiu que não pode “esconder o que é visível”.

“Cria-nos problemas porque a bola não circula, é mais pesado, o que causa desgaste, e tira-nos jogadores por lesão”, enumerou Bruno Lage, reforçando que não vale a pena lamentar e que cabe a si e à sua equipa “arranjar soluções” para contrariar o problema.

Nesse sentido, o técnico não confirmou que a lesão contraída por Rafa, frente aos franceses, se tenha ficado a dever às condições do relvado e recusou, também, apontar uma estimativa para a recuperação do avançado, mas adiantou que Chiquinho, Seferovic e André Almeida estão “totalmente recuperados” das respetivas lesões.

E, quando questionado sobre a possível ausência prolongada de Rafa e a aparente dependência benfiquista da dupla formada pelo ex-bracarense e por Pizzi, o técnico garantiu que essa é uma “falsa questão”.

“Dependemos sempre de quem marca golos, tal como de quem defende a baliza. O Rafa marcou, mas o Cervi fez o passe e também foi decisivo. Quero é que a equipa marque, independentemente de quem o fizer”, desvalorizou Bruno Lage, rejeitando que a ausência de Rafa vá alterar os processos de jogo da equipa.

Quanto ao Tondela, Bruno Lage referiu que se trata de uma equipa “dinâmica a atacar e a defender”, que exerce uma pressão muito forte a condicionar o adversário.

“Teremos de estar ao nosso melhor nível. Pretendemos um regresso forte em todas as competições e regressar ao campeonato a vencer”, reforçou o treinador do Benfica.