O presidente do Chile, Sebastián Piñera, anunciou este sábado uma vasta remodelação governamental, um dia após uma manifestação histórica contra as desigualdades sociais que reuniu mais de um milhão de pessoas.

“Pedi a todos os ministros para apresentarem a demissão para poder formar um novo governo e poder responder às vossas exigências”, declarou o Chefe de Estado numa mensagem ao país.

Piñera anunciou também que tenciona levantar o estado de emergência no domingo “se as circunstâncias o permitirem”, tentando contribuir “para uma normalização que tantos chilenos querem e merecem”.

As declarações do presidente chileno foram feitas uma semana após o início de uma vaga de contestação sem precedentes nas últimas décadas, num país considerado um dos mais estáveis da América Latina.

Os protestos e a sua repressão já fizeram pelo menos 19 mortos, centenas de feridos e milhares de detidos.