O chefe da Diplomacia de Cabo Verde, Luís Filipe Tavares, anunciou esta terça-feira à Lusa uma consulta político-diplomática entre os estados-membros da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) sobre a crise política na Guiné-Bissau e face às suas “consequências imprevisíveis”.

“Cabo Verde, na qualidade de país que detém a presidência ‘pro-tempore’ da CPLP, acompanha com redobrada atenção e preocupação a grave situação de mais uma crise política, de consequências imprevisíveis, agora aberta com a demissão do Governo da Guiné-Bissau”, refere, numa declaração à Lusa, o ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades.

Luís Filipe Tavares, que é também presidente em exercício do Conselho de Ministros da CPLP, refere ainda consultas internas antes da tomada de posição da organização. “Estamos a proceder a uma consulta político-diplomática a nível dos estados-membros, com vista a uma tomada de posição clara sobre esta matéria”, acrescenta o governante.

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, demitiu na segunda-feira, por decreto, o primeiro-ministro Aristides Gomes, que, no entanto, anunciou que estava esta terça-feira no Palácio do Governo a trabalhar normalmente e já antes de ser demitido tinha considerado que o Conselho de Estado convocado pelo Presidente estava “caduco” e não tinha legitimidade.