A necessidade de cumprir os limites de emissões de CO2 impostos por Bruxelas tem vindo a pressionar os fabricantes a desdobrarem-se para reduzir a média de emissões de CO2 da gama, isto se quiserem evitar as pesadas multas por incumprimento. A Opel não é excepção, tendo o seu responsável máximo anunciado os modelos que vão chegar ao mercado até 2021, bem como a estratégia até 2024.

De acordo com o CEO da Opel/Vauxhall, Michael Lohscheller, a marca vai  introduzir nos próximos dois anos oito modelos recarregáveis, sendo seis 100% eléctricos e dois híbridos plug-in (PHEV). Estes últimos serão representados pelo Grandland X Hybrid4, o SUV do segmento C que estará disponível em 2020, mas que já pode ser reservado em Portugal, mercado onde é proposto por 57.670€. O segundo membro da família PHEV será o futuro Astra, substituto do actual e já com plataforma PSA, agendado para 2021.

No calendário de futuras apresentações da Opel, bem mais numerosos do que os modelos PHEV são os eléctricos a bateria, com o Corsa-e a estar agendado já para 2020. Vai seguir-se o comercial Vivaro, o futuro Mokka X em 2020 (sucessor do actual, já sobre a base que também vai servir o novo 2008), o Combo Life e o Combo Cargo em 2021, com o Zafira Life a encerrar o ciclo igualmente em 2021.

Lohscheller salienta que a mobilidade eléctrica é fundamental para respeitar as metas das emissões, o que não implica que os motores de combustão sejam postos de lado, pois vão continuar a ser propostos. Só que para limitar os valores do consumo e, por tabela, do CO2, vão passar a beneficiar da ajuda de sistemas de electrificação híbridas plug-in. De acordo com a marca alemã do grupo francês PSA, até 2024 todos os veículos da gama beneficiarão de mecânicas PHEV, com motor a gasolina como elemento principal.