Um jovem foi detido na quinta-feira por “fortes indícios” da prática de três crimes de abuso sexual de crianças, um de sequestro e um de perseguição, encontrando-se em prisão preventiva, anunciou esta segunda-feira a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

O suspeito, de 20 anos, e a vítima, uma menina de 12 anos, ambos de nacionalidade estrangeira, conheceram-se “numa rede social” em janeiro deste ano, momento a partir do qual “o arguido passou a abordar a menor em todos os locais onde esta se encontrava, perseguindo-a por diversas vezes com o propósito de assediar a menor, bem sabendo que com o seu comportamento lhe causava medo e inquietação”, indicou a PGDL.

Em três situações, o arguido manteve relações sexuais com a ofendida e numa das ocasiões manteve-a no interior de um quarto, privando-a da sua liberdade, durante três dias, mesmo sabendo que os pais a procuravam e se encontravam preocupados com o seu bem-estar“, relatou a Procuradoria-Geral, numa nota publicada na página da internet.

Na quinta-feira, o suspeito foi detido e apresentado ao Juízo de Instrução Criminal (JIC) para primeiro interrogatório judicial, em que lhe foi aplicada a medida de coação de prisão preventiva “por se verificarem, em concreto, os perigos de continuação da atividade criminosa, de perturbação do decurso do inquérito e de fuga”.

De acordo com informação da PGDL, o inquérito foi dirigido pela 2.ª secção do Ministério Público (MP) do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa/Sede, com a coadjuvação da Polícia Judiciária (PJ).