A oferta pública de uma parte do gigante petrolífero Aramco vai começar em dezembro, noticiou esta terça-feira o canal de televisão Al-Arabiya no início do fórum empresarial mais importante do reino saudita.

De acordo com a estação de televisão Al-Arabiya, com sede no Dubai, mas detida por capital de investidores sauditas, o príncipe Mohamed bin Salman espera que a empresa petrolífera venha a ser reavaliada, aumentando consideravelmente o valor o que pode permitir a Riade empreender novos investimentos.

A notícia é divulgada no dia em que começam os trabalhos do “Future Investment Initiative” (FFI), o maior fórum empresarial da Arábia Saudita, conhecido como “Davos do Deserto” e que reúne 300 participantes de 30 países.

A edição de 2018 do FFI foi afetada pelo boicote internacional devido ao assassinato do jornalista dissidente Kamal Kashoggi. Em 2019, a estagnação dos preços do setor da energia e os ataques de 14 de setembro contra a refinaria Aramco, pelos rebeldes hutis do Iémen, fez retrair os investidores.

A notícia da Al-Arabiya, que citou fontes anónimas, não detalhou a operação sobre a Aramco mas outros órgãos de comunicação social sauditas referem que tendo em vista a oferta pública, os preços finais das ações da empresa vão ser fixados no dia 4 de dezembro.

As mesmas notícias indicam também que o anúncio da Autoridade de Mercados Imobiliários da Arábia Saudita sobre a petrolífera vai ser feito no domingo.

“A Aramco é determinante para o plano ‘Visão 2030’ da Arábia Saudita sobre a diversificação da economia do reino”, refere a mesma notícia da Al-Arabiya.