O consórcio aeronáutico europeu Airbus obteve um lucro de 2.186 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, mais 50% que no mesmo período de 2018, mas reviu em baixa o número de entregas de aparelhos comerciais.

Num comunicado, o consórcio refere que os números de janeiro a setembro “refletem o aumento da produção do A320neo e o avanço do A350”, apesar de para o conjunto do ano ter revisto em baixa o número previsto de entrega de aparelhos comerciais.

Em julho o consórcio Airbus tencionava entregar entre 880 e 890 aparelhos e neste novo balanço diminuiu para 860 o objetivo para 2019.

Até setembro, o Airbus entregou 571 aviões comerciais, contra 503 no mesmo período em 2018, mas enfrentou dificuldades no aumento do fluxo da produção do A321 ACF.

A faturação subiu globalmente para 46.168 milhões de euros, mais 14% do que no mesmo período de 2018, impulsionados sobretudo por um acréscimo das entregas ou uma evolução positiva das taxas de câmbio.

A divisão de aviões comerciais aumentou as receitas para 35.572 milhões de euros, mais 17%, enquanto o volume de negócios da divisão dos helicópteros recuou para 3.712 milhões de euros, menos 1%.