Três funcionários da Organização Internacional das Migrações (OIM) foram mortos durante confrontos no Sudão do Sul onde trabalhavam em postos de controlo sanitário para a luta contra o vírus do Ébola, anunciou esta quarta-feira a agência da ONU.

“Os voluntários da OIM, uma mulher e dois homens, foram apanhados durante um tiroteio no seguimento de confrontos” no domingo no condado de Morobo, na região do Equador central, fronteira da República Democrática do Congo (RDC), indicou a OIM num comunicado que não avança a nacionalidade das vítimas.

Dois outros funcionários ficaram feridos e a mulher e o filho de um deles foram raptados, adiantou a organização.

Estamos profundamente entristecidos com a morte dos nossos colegas e apresentamos as nossas sinceras condolências aos seus familiares e amigos”, declarou o chefe da missão da OIM no Sudão do Sul, Jean-Philippe Chauzy.

Segundo o comunicado, a OIM suspendeu os controlos para o vírus Ébola em cinco locais ao longo da fronteira com a RDC, onde uma epidemia de vírus do Ébola fez 2.180 mortos desde agosto de 2018. Até ao momento, não foi oficialmente recenseado qualquer caso de Ébola no Sudão do Sul.

A segurança do nosso pessoal é primordial e não será mais colocada em causa até termos garantias sobre a segurança de todo o nosso pessoal que opera no condado de MOrobo, adiantou Jean-Philippe Chauzy