O autodenominado Estado Islâmico (EI) confirmou esta quinta-feira a morte do seu líder, Abou Bakr al-Baghdadi, e anunciou o novo líder do grupo terrorista: Abu Ibrahim Al-Hashimi Al-Qurachi.

A notícia está a ser avançada pelo jornal francês Le Figaro e detalhada, via Twitter, por Rita Katz, analista de terrorismo israelita e co-fundadora do Search International Terrorist Entities Intelligence Group (SITE).

A analista israelita terá tido acesso a um ficheiro áudio postado na aplicação Telegram com uma mensagem do novo porta-voz do EI, Abu Hamza al-Qurayshi, onde para além de ter sido anunciada a identidade do novo líder foi também deixado um aviso aos Estados Unidos, para que não rejubilem com a morte de al-Baghdadi, porque o ISIS se mantém vivo e continuará  a executar a sua missão. “América, não percebes que o Estado Islâmico já está na vanguarda da Europa e da África Ocidental? Espalhou-se do leste para o oeste”, partilhou Katz no Twitter.

Também de acordo com Rita Katz e com a leitura que a analista fez da gravação a que teve acesso, o novo porta-voz terá exortado ainda os ouvintes a cumprir o último pedido feito por al-Baghdadi, há cerca de um mês — e que consistia essencialmente na libertação dos prisioneiros muçulmanos e no recrutamento de novos soldados para o exército do EI.

Pouco se sabe para já sobre Abu Ibrahim Al-Hashimi Al-Qurachi, a não ser que alegadamente pertence à Quraysh, a tribo da qual descende o profeta Maomé.

A morte de Abou Bakr al-Baghdadi foi anunciada no passado domingo, há apenas quatro dias, pelos Estados Unidos, e confirmada agora pelo EI. Na mesma mensagem, de sete minutos, foi anunciada também a morte de Abu Hassan al-Muhajir, um dos homens de mão do ex-líder e anterior porta-voz do movimento.

(em atualização)