Um sismo de magnitude 6 abalou esta segunda-feira o centro do Chile e foi sentido na capital, Santiago do Chile, provocando cenas de pânico entre as dezenas de milhares de pessoas que se manifestavam nas ruas contra o governo.

Segundo o Instituto de Geofísica dos Estados Unidos (USGS), o sismo de magnitude 6 registou-se às 18h53 locais (21h53 em Lisboa). De acordo com o centro sísmico nacional chileno (CSN), o tremor de terra foi sentido na região de Coquimbo, Valparaíso, e na região metropolitana de Santiago.

O epicentro localizou-se a oito quilómetros a sudoeste de Illapel, na costa central do país, a uma profundidade de 65 quilómetros, registando uma magnitude de 6,3, segundo o CSN.Na capital o abalo fez alguns edifícios abanar e lançou o pânico entre grupos de manifestantes nas ruas, segundo jornalistas de agências internacionais nos locais.

O Chile vive uma agitação social sem precedentes desde o fim da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990), com manifestações maciças nas ruas e distúrbios, reprimidos pela polícia e militares, que até ao momento fizeram pelo menos 20 mortos, pelo menos 600 feridos e seis mil detidos.

Esta segunda-feira, dezenas de milhares de chilenos voltaram a sair à rua em protesto contra a reforma das pensões anunciada pelo Presidente, Sebastian Piñera para responder à crise política e social, congregando-se em torno do Congresso, onde os deputados começaram esta segunda-feira de manhã a debater a reforma.