A Turquia capturou esta segunda-feira a irmã mais velha do líder do grupo extremista Estado Islâmico, morto em 26 de outubro, disse um responsável turco, que qualificou a detenção de “mina de ouro” para os serviços de informações.

O responsável, citado pela agência Associated Press, afirmou que a mulher, de 65 anos, conhecida como Rasmiya Awad, é suspeita de pertencer ao grupo jihadista que foi liderado pelo irmão Abu Bakr al-Baghdadi.

A mulher foi capturada numa operação no nordeste da Síria que visou um contentor onde residia com a família, na localidade de Azaz, na província de Alepo.

A zona faz parte da região administrada pela Turquia desde a operação militar lançada em 2016 contra os jihadistas do Estado Islâmicos e os combatentes curdos.

O responsável turco disse que a mulher estava com o marido, uma nora e cinco crianças. Os adultos estão a ser interrogados, precisou.

“Este tipo de coisa é uma mina de ouro de informações. O que ela sabe [sobre o Estado Islâmico] pode aumentar significativamente o nosso entendimento do grupo e ajudar-nos a capturar mais pessoas”, adiantou o mesmo responsável, que pediu anonimato por não estar autorizado a divulgar a informação.

Abu Bakr al-Baghdadi, iraquiano, foi morto há nove dias numa operação de forças dos Estados Unidos na província de Idlib, também no noroeste da Síria.