A pouco mais de um quarto de hora do final, e depois de ter estado a perder por três golos de desvantagem, Reece James, que entrou ao intervalo para o lugar de Marcos Alonso, conseguiu marcar o 4-4 e tornou-se o jogador mais jovem de sempre a marcar pelo Chelsea na Liga dos Campeões (19 anos e 332 dias). No entanto, esse momento que teve origem num cabeceamento ao poste após canto foi apenas um dos pontos históricos desta noite.

A igualdade entre Chelsea e Ajax em Stamford Bridge, que deixou as contas do grupo também empatadas entre os dois conjuntos e o Valencia (que goleou o Lille por 4-1) a sete pontos, foi o resultado mais volumoso em encontros a contar para a Liga dos Campeões ou Taça dos Clubes Campeões Europeus que terminaram sem vencedor, a par do Hamburgo-Juventus, do Chelsea-Liverpool e do Bayer Leverkusen-Roma.

Se o 4-4 final foi histórico, o caminho feito até ao resultado também não ficou muito atrás. Logo nos primeiros quatro minutos, um golos para cada lado: Tammy Abraham, o avançado que se tem destacado na presente época, acertou na baliza errada e colocou o Ajax em vantagem (2′) antes de Jorginho fazer o 1-1 de penálti (4′). Antes do intervalo, Promes recolocou os holandeses na frente (20′) e Kepa fez também um autogolo no lance do 3-1, levando com a bola na cara após um cruzamento largo que bateu no poste e foi na sua direção (35′).

A primeira parte teve dois autogolos, o segundo tempo teria duas expulsões – e ainda mais um penálti pelo meio. Van de Beek apontou o 4-1 ainda no primeiro quarto de hora após o intervalo (55′), Azpilicueta reduziu para 4-2 (63′) e, já depois dos vermelhos por acumulação aos centrais Blind (68′) e Veltman (69′), Jorginho marcou o 4-3 de grande penalidade (71′) antes de Reece Jame empatar a quatro (74′) num encontro que, até ao final, teria ainda um golo anulado ao Chelsea e uma grande defesa de Kepa a evitar um golpe de teatro por parte do Ajax.