É uma descoberta marcante na investigação científica: pela segunda vez no século XXI, a primeira desde 2000, foi descoberto um novo tipo de vírus da sida. Trata-se de um novo subtipo do Vírus da Imunodeficiência Humana. A descoberta foi feita por uma equipa da universidade norte-americana do Missouri, em Kansas City, em parceria com os Laboratórios Abbott, localizados em Abbott Park, Illinois, também nos Estados Unidos da América.

Os resultados da pesquisa foram publicados esta quarta-feira na revista científica Journal of Acquired Immune Deficiency Syndromes, indica a CNN. Uma das principais autoras das conclusões desta investigação, Carole McArthur, afirmou que “esta descoberta lembra-nos que para acabar com a pandemia do VIH, temos de continuar a pensar mais além sobre este vírus que está em permanente mudança. Temos de usar os mais recentes avanços na tecnologia e nos recursos que temos para monitorizar a sua evolução”.

Já o diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos EUA, Anthony Fauci, destacou, citado pela CNN, que “não há motivos para entrar em pânico ou sequer para nos preocuparmos um pouco que seja” com esta nova variante do VIH. Isto porque, defende, não só os tratamentos atuais para combater o HIV são eficazes também” no combate a esta nova variante como “não há muitas pessoas infetadas com este tipo” do vírus. Contudo, descobrir mais uma variante permite perceber melhor a evolução do Vírus da Imunodeficiência Humana, detalha a estação que ouviu o especialista a propósito desta nova descoberta.

Ao todo, existem mais de 36 milhões de pessoas infetadas com o vírus da sida no mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde, citados pela CNN.