O Presidente turco, Recep Tayyip Erodgan, declarou esta quarta-feira que a Turquia capturou a mulher de Abu Bakr al-Baghdadi, chefe do grupo Estado Islâmico (EI) morto pelas forças especiais norte-americanas no final de outubro.

Depois de liderar a operação que levou à morte de Al-Baghdadi, os Estados Unidos “lançaram uma gigantesca campanha de comunicação”, disse Erdogan, em Ancara, durante um discurso transmitido pela televisão.

“Quanto a nós, detivemos a mulher dele. Digo isso esta quarta-feira pela primeira vez, mas não nos gabamos”, disse o Presidente turco, sem indicar quando ou onde esta detenção ocorreu.

Na terça-feira, oficiais turcos anunciaram a prisão da irmã de Al-Baghdadi, o seu marido, a nora e cinco crianças durante uma operação das forças turcas na Síria. Erdogan também disse esta quarta-feira que uma “irmã e o cunhado” de Al-Baghdadi foram presos.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou a 27 de outubro a morte de Al-Baghdadi durante uma operação, na noite anterior, no noroeste da Síria, a poucos quilómetros da fronteira com a Turquia.

No dia seguinte ao anúncio, a Turquia alegou que os seus serviços de informação e militares mantiveram contacto “intenso” com os seus colegas norte-americanos na noite da operação que levou à morte de Al-Baghdadi.

Entretanto, Ancara foi acusada, nas últimas semanas, de enfraquecer a luta contra elementos dispersos do EI ao lançar, a 9 de outubro, uma ofensiva contra a milícia curda das Unidades de Proteção do Povo (YPG), elemento primordial na luta contra o EI na Síria.