O Fiat 850 foi produzido entre 1964 e 1973, sempre com motores muito pequenos e pouco potentes, pois o seu objectivo era servir as famílias, sobretudo italianas, com um veículo barato e económico. Porém, alguém decidiu que era chegada a altura de equipar o simpático modelo com uma mecânica que verdadeiramente impressionasse o condutor.

Habitualmente, este Fiat montava na traseira um motor de quatro cilindros com 843 ou 903 cc, associado a uma caixa de quatro velocidades. Isto num veículo que com todos os forros, bancos e painéis em chapa de aço pesava apenas 670 kg. O preparador desta “bomba” retirou a unidade motriz italiana e substituiu-a por um conjunto japonês.

4 fotos

A nova unidade foi herdada de uma Kawasaki Ninja ZX-12R, moto fabricada até 2006 e que ultrapassava os 301 km/h, ajudada pelo possante motor com 1.199 cc e 178 cv. O quatro cilindros nipónico, associado à caixa de velocidades original, que quase pode ser considerada sequencial, passou a garantir ao Fiat/Kawasaki outros voos, tanto mais que as suas vias foram consideravelmente alargadas, enquanto o peso desceu generosamente, à custa de painéis de fibra e interior espartano.

Veja o vídeo e deixe-se impressionar pelo gritar do motor 1.2 japonês, bem como pela rapidez da caixa de velocidades, que agora passou a ser accionada com a mão, em vez de com o pé, como acontecia até aqui. Mas o ruído, esse, parece saído de um F1 dos tempos áureos: