A agência de notação financeira Fitch mostrou-se esta segunda-feira confiante no potencial de crescimento “a longo prazo” do mercado de massas em Macau, numa altura em que o segmento das grandes apostas (VIP) enfrenta um crescente declínio.

Num comunicado enviado à agência Lusa, a Fitch sublinhou que o mercado de massas continua a registar um “crescimento de dois dígitos (acima dos 17% até ao terceiro trimestre) e é o menos afetado pelos riscos a que o segmento VIP está exposto”.

Até ao momento, o mercado de massas representou 53% da totalidade das receitas provenientes do jogo no antigo território administrado por Portugal, destronando pela primeira vez o segmento das grandes apostas. Os analistas de jogo da agência visitaram Macau, na semana de 28 de outubro passado, e estiveram reunidos com a maioria das concessionárias de jogo e cinco departamentos governamentais.

De acordo com a Fitch, o declínio do segmento VIP “foi atribuído ao enfraquecimento das condições macroeconómicas na China e elevado pelas atuais tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China”. Já o enfraquecimento do renminbi, as regras mais apertadas para os angariadores de grandes apostadores (junkets) e os jogos online não sancionados na China continental foram apontados, entre outros, como “fatores secundários”.

Também a crise que se vive há cinco meses em Hong Kong “foi amplamente minimizada, já que a maioria dos apostadores passa pela fronteira de Zhuhai [localidade chinesa adjacente a Macau], enquanto aqueles provenientes dos pacotes turísticos que incluem Hong Kong (…) geralmente não são VIP”.

Em sentido inverso, o mercado de massas tem beneficiado do “crescimento da classe média na China e da melhoria de infraestrutura na área da Grande Baía e arredores”, referiu a Fitch. Ainda assim, na passada sexta-feira, a presidente executiva da Sociedade de Jogos de Macau (SJM) admitiu que o crescimento do mercado de massas não deverá amortizar por completo a recente diminuição das receitas provenientes das grandes apostas (VIP).

“Pode compensar parcialmente, mas em termos globais, e apesar de estarmos a trabalhar para isso, há a possibilidade de que não seja possível”, afirmou Daisy Ho, em declarações aos jornalistas à margem da inauguração de uma exposição no hotel-casino Grand Lisboa.