Pode uma seleção ter dois jogadores que assumidamente não se conseguem ver à frente? É complicado mas pode e o Chile é exemplo paradigmático disso: Arturo Vidal confidenciou numa entrevista recente que cortou relações e não fala com Claudio Bravo. “A mulher dele acusou-nos de termos ido a uma festa durante o Mundial na Rússia e de não termos ido treinar porque estávamos de ressaca. Não falei com ele durante a concentração em Alicante. Sou homem o suficiente para dizer as coisas cara a cara e já as disse há quase dois anos, por causa dos comentários da sua família. Pazes? Um de nós devia dar o primeiro passo e não era eu… Mas isso não já não me diz nada e cada um seguiu com a sua vida. Não somos amigos, nem nunca mais vamos sê-lo, mas a seleção é o mais importante”, disse. No entanto, nem sempre é possível esse convívio. E a Inglaterra que o diga.

O Liverpool-Manchester City deste domingo, em Anfield Road, foi quente. Às vezes, demasiado quente. Ainda na primeira parte, Raheem Sterling chegou a pegar-se com Alexander-Arnold mas tudo ficou resolvido pouco tempo depois. Depois, com Joe Gomez, as coisas foram diferentes e o avançado teve mesmo de ser separado do defesa por jogadores dos dois conjuntos. Apito final, vitória para os reds por 3-1, que reforçaram ainda mais a vantagem na liderança para os bicampeões ingleses, paragem para as seleções. Ou, neste caso, para tempo extra no clássico.

Os rumores começaram a surgir na noite de segunda-feira e foi a própria Federação Inglesa a confirmar: Raheem Sterling foi afastado das opções do conjunto britânico para o próximo encontro de qualificação para o Campeonato da Europa de 2020, frente a Montenegro, na quinta-feira (19h45). “Podemos confirmar que Raheem Sterling não será convocado para o jogo da Inglaterra frente ao Montenegro, para o Euro 2020, em consequência de um distúrbio numa área privada da equipa no St. George’s Park. Ele continuará com a equipa”, escreveu numa nota, sem especificar o motivo em concreto que levou a essa exclusão do avançado das opções de Gareth Southgate.

De acordo com a imprensa britânica, Joe Gomez terá feito um comentário sobre o jogo da véspera que Sterling não gostou, passando do desagrado para os confrontos num episódio que valeu a exclusão do próximo jogo.

“Tomámos a decisão de deixar Raheem [Sterling] de fora do jogo com Montenegro. Um dos maiores desafios e lutas que temos tido tem sido separar os clubes da seleção. Infelizmente as emoções do jogo de ontem [domingo] ainda estavam à flor da pele. Penso que foi a melhor decisão em prol do conjunto. Agora que a decisão foi deliberada juntamente com toda a equipa, é importante que continuem a apoiar os jogadores e mantermo-nos focados para o jogo”, acrescentou o selecionador inglês, que levou a equipa ao quarto lugar no último Mundial.

De referir que existem seis jogadores de Liverpool e Manchester City entre os convocados de Southgate para o jogo com Montenegro, o 1.000.º da seleção dos Três Leões e que poderá carimbar o apuramento para o Europeu em caso de vitória: Alexander-Arnold, Joe Gomez, John Stones, Jordan Henderson, Oxlade-Chamberlain e Sterling. Mais representado só mesmo o Chelsea, com cinco elementos nas escolhas de Inglaterra.