O obstetra Artur de Carvalho, que fez as ecografias à mãe do bebé que nasceu com malformações no dia 7 de outubro, no Hospital de Setúbal, já respondeu por escrito ao Conselho Disciplinar Regional do Sul da Ordem dos Médicos, onde estão pendentes sete processos contra ele.

A informação está a ser avançada pelo Correio da Manhã, que cita o presidente do Conselho Disciplinar, Carlos Pereira Alves.

O médico tinha a possibilidade de não ser ouvido e pronunciar-se por escrito. Foi isso mesmo que fez”, afirmou Carlos Pereira Alves ao CM.

Recorde-se que o Conselho Disciplinar suspendeu este médico preventivamente por seis meses.

O presidente do Conselho Disciplinar Regional do Sul disse não saber ao certo sobre que processos o especialista se pronunciou, mas considera “natural” que não tenha falado sobre os dois processos que deram entrada neste conselho disciplinar recentemente — um deles é o do bebé Rodrigo, que nasceu sem olhos, sem nariz e sem parte do crânio.

Carlos Pereira Alves adiantou ainda que a “averiguação” está em curso e que “tudo será devidamente esclarecido”. Há cinco processos pendentes no Conselho Disciplinar que datam de 2013, 2014, 2015, 2017 e 2019. Depois de o caso de Rodrigo ter sido tornado público, deram entrada a queixa da mãe deste bebé e uma outra denúncia. Outros quatro processos sobre este médico já tinham sido arquivados.

O Ministério Público também está a investigar o caso, sendo que, em 2011, o mesmo médico já tinha sido alo de um inquérito do MP, mas a queixa acabou por ser arquivada.