Agora sem o Monumental, encerrado para obras, a edição deste ano do LEFFEST-Lisbon & Sintra Film Festival decorre no Espaço Nimas, Auditório Olga Cadaval, Tivoli, Universidade Lusófona e Palácio de Queluz, entre dias 15 e 24. Entre os realizadores e atores homenageados com retrospetivas, estão Willem Dafoe, Christian Petzold, Rita Azevedo Gomes, José Miguel Ribeiro ou Corneliu Porumboiu.

Wim Wenders trará cópias restauradas de dois seus filmes rodados em Portugal, “O Estado das Coisas” e “Viagem a Lisboa — Lisbon Story”, que faz 25 anos. Além das duas habituais secções da Seleção Oficial (Em Competição e Fora de Competição), haverá Sessões Especiais e os ciclos Looking for Homeland e Resistência — Simpósio Internacional, no âmbito do qual será visto o controverso “Marighella”, de Wagner Moura. A programação fica completa com os concertos (de Maria João Pires e Teresa Salgueiro), espectáculos (caso de “Hiroshima Meu Amor”, com Fanny Ardant), Masterclasses e encontros e conversas com realizadores e atores. Eis dez filmes que selecionámos da programação do LEFFEST 2019.

“Passámos por Cá”

De Ken Loach

Um pai de família de Newcastle, endividado até ao pescoço e quer ser o seu próprio patrão, compra uma carrinha e mete-se no negócio da entrega de encomendas na modalidade de franquiado. Mas as condições do contrato são muito arriscadas e não existe qualquer tipo de rede protetora. O novo filme de Ken Loach continua na linha do melhor cinema de realismo social característico do realizador. (Dia 15, Espaço Nimas, 21.30)

“Patrick”

De Gonçalo Waddington

A primeira longa-metragem realizada pelo ator português Gonçalo Waddington conta a história de um menino de oito anos que foi raptado em Portugal, em 1999. Vinte anos depois, em 2019, reaparece, agora adulto, numa prisão em Paris. E por trás do seu desaparecimento está um terrível segredo. Com Hugo Fernandes, Carla Maciel e Teresa Sobral. (Dia 18, Centro Cultural Olga Cadaval, 21.00/Dia 20, Espaço Nimas, 19.00)

“Tommaso”

De Abel Ferrara

Willem Dafoe volta a ser dirigido por Abel Ferrara neste filme em que interpreta o Tommaso do título, um artista americano que vive em Roma com a sua jovem mulher europeia e a filha de três anos. A personagem tem semelhanças com o próprio realizador, o que dá ao filme uma componente autobiográfica e de reflexão sobre a sua própria situação. (Dia 19, Centro Cultural Olga Cadaval, 21.00/Dia 20, Espaço Nimas, 21.30)

“A Flor da Felicidade”

De Jessica Hausner

O novo filme da realizadora austríaca Jessica Hausner foi rodado no seu país natal e em Inglaterra. Emily Beecham interpreta este drama de ficção científica, no papel de uma mãe solteira que trabalha numa companhia que se dedica ao desenvolvimento de novas espécies de plantas. Um dia, leva para casa, para oferecer ao filho, uma planta que faz felizes quem a tem. (Dia 16, Centro Cultural Olga Cadaval, 15.00/Espaço Nimas, dia 16.00, 18.30)

“The Criminal Man”

De Dmitry Mamulyia

É da Geórgia que chega este filme sobre Giorgi Meshki, um jovem engenheiro que vive numa cidade industrial e leva uma vida o mais pacata possível. Um dia, testemunha acidentalmente o assassínio de um famoso guarda-redes de futebol e o acontecimento afeta-o de forma invulgar. Fica obcecado pelo sucedido e começa a investigar tudo o que tenha a ver com o crime. (Dia 18, Centro Cultural Olga Cadaval, 18.00/Dia 21, Espaço Nimas, 19.00)

“O Farol”

De Robert Eggers

A segunda realização de Robert Eggers, o autor de “A Bruxa”, um dos melhores filmes de terror dos últimos anos, passa-se no século XIX, numa remota ilha da Nova Inglaterra, onde um veterano marinheiro (Willem Dafoe) está encarregue de zelar pelo farol local, acompanhado pelo seu novo assistente (Robert Pattinson). Entediado, este fica a cada dia mais interessado em saber o que se passa dentro do farol. (Dia 21, Centro Cultural Olga Cadaval, 21.00/Dia 24, Espaço Nimas, 21.30)

“Graças a Deus”

De François Ozon

Três homens, amigos de infância, que vivem em Lyon, juntam forças para denunciar o padre que abusou sexualmente de um deles quando era escoteiro e que trabalha ainda com crianças. Este filme de François Ozon é inspirado em factos reais que se passaram naquela cidade francesa e que levaram um cardeal a ser acusado na justiça, por ter encobrido um padre acusado de pedofilia. Interpretações de Melvil Poupaud, Éric Caravaca e Bernard Verley. (Dia 23, Universidade Lusófona, 21.30)

“Comportem-se Como Adultos”

De Costa-Gavras

O livro de memórias políticas do ex-ministro grego Yannis Varoufakis está na base desta fita de Costa-Gavras. Passado em 2015, na Grécia, em plena crise financeira europeia, “Comportem-se Como Adultos” entra nos bastidores das duríssimas negociações do governo helénico com o Eurogrupo, que impõe ao país uma ditadura da austeridade, configurando uma verdadeira tragédia contemporânea. (Dia 16, Centro Cultural Olga Cadaval, 17.30)

“A Criança Zombi”

De Bertrand Bonello

O novo filme do francês Bertrand Bonello, descrito como sendo “uma história de terror poético e político”, passa-se em dois tempos. O primeiro ambienta-se no Haiti, em 1962, onde um homem regressa dos mortos para trabalhar numa plantação de cana de açúcar. O segundo, nos nossos dias, quando uma jovem de ascendência haitiana conta aos amigos um segredo de família. (Dia 19, Espaço Nimas, 19.00/Dia 20, Centro Cultural Olga Cadaval, 18.00)

“A Ilha dos Silvos”

De Corneliu Porumboiu

O realizador de filmes como “12.08 a Este de Bucareste “ ou “O Tesouro” é um dos mais importantes nomes do cinema romeno da era pós-comunista. Desta feita, Corneliu Porumboiu saiu da Roménia e viajou até às Canárias para rodar esta comédia policial sobre um polícia corrupto que pretende libertar um homem de negócios preso numa daquelas ilhas. (Dia 23, Espaço Nimas, 19.30/Dia 24, Centro Cultural Olga Cadaval, 17.30)