O Facebook revelou esta terça-feira um novo serviço de pagamento chamado Facebook Pay. Este serviço já pode ser testado esta semana nos Estados Unidos da América, através das redes sociais Facebook e Messenger (esta última, uma app ligada ao Facebook, mas de conversas instantâneas). Posteriormente, poderá ser usado por utilizadores de outras redes sociais da empresa, como o WhatsApp e o Instagram. Será assim a primeira vez que o Facebook lança um serviço de pagamento extensível a todas estas redes sociais.

Também anunciada pelo Facebook foi a possibilidade de futuramente os utilizadores das redes sociais da empresa poderem consultar todo o seu histórico de pagamentos no Facebook Pay em apenas um sítio, indica o site norte-americano CNET.

Deborah Liu, vice-presidente do departamento de Mercado e Comércio do Facebook, congratulou-se com este novo serviço, destacando — citada pela mesma fonte — que “as pessoas já fazem pagamentos nas nossas apps para compras, para doações a causas e para enviar dinheiro a outros. O Facebook Pay vai tornar estas transações mais fáceis enquanto continua a garantir que a vossa informação de pagamentos está segura e protegida”.

A garantia de que os dados de pagamento dos utilizadores vão ser protegidos é de importância crítica, já que a empresa fundada por Mark Zuckerberg tem sido criticada nos últimos anos por ter demonstrado ser incapaz de garantir a privacidade dos dados pessoais de todos os utilizadores das redes sociais do Facebook.

Nos últimos meses, o Facebook anunciou que tem apostado mais no mercado financeiro digital, revelando que vai lançar uma criptomoeda chamada Libra nas mesmas plataformas. Este avanço do Facebook foi considerado pelos legisladores norte-americanos como uma “ameaça ao dólar” e levou Mark Zuckerberg novamente ao Congresso.