Portugal regressa esta quarta-feira ao mercado para emitir até 1.000 milhões de euros em Obrigações do Tesouro (OT) com maturidade de cerca de 10 anos.

O IGCP – Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública informou, na semana passada, que realiza esta quarta-feira, pelas 10h30 horas, um leilão de OT com maturidade em 15 de junho de 2029. De acordo com a instituição liderada por Cristina Casalinho, o leilão tem um montante indicativo entre 750 e 1.000 milhões de euros.

No último leilão de OT com maturidade de cerca de 10 anos, realizado em 11 de setembro, foram colocados 600 milhões de euros com maturidade em 15 de junho de 2029 à taxa de juro de 0,264%, um novo mínimo de sempre, abaixo da registada em 10 de julho, de 0,510%, anterior mínimo histórico.

Na emissão de 11 de setembro, a procura das OT a 10 anos atingiu 1.263 milhões de euros, 2,1 vezes o montante colocado, um rácio superior ao registado na anterior emissão comparável, de 10 de julho, quando a procura atingiu 1,58 vezes o montante colocado.

O custo da dívida emitida por Portugal entre janeiro e setembro fixou-se em 1,2%, um novo mínimo histórico, de acordo com o boletim mensal do IGCP divulgado no final de outubro.

O custo da dívida pública emitida por Portugal tem vindo a descer desde 2011, quando o país pediu assistência financeira internacional. Naquele ano, o custo que Portugal pagou por emitir nova dívida atingiu o máximo histórico de 5,8%.