O presidente executivo da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, afirmou que a empresa está a “trabalhar ativamente” nos serviços financeiros.

Alexandre Fonseca falava num encontro com jornalistas, em Lisboa, no âmbito dos resultados da atividade da empresa no terceiro trimestre deste ano.

“Estamos a trabalhar ativamente” nos serviços financeiros, disse o gestor.

Neste âmbito, a Altice tem dois parceiros, mas não foi divulgado quem são.

“É um trabalho que tem vindo a ser feito, não é fácil”, acrescentou o presidente executivo, recordando que o último banco com dimensão a entrar no mercado português foi o Banco CTT, o qual “demorou alguns anos a ser preparado”.

Por mais de uma vez, Alexandre Fonseca reiterou estar a falar de “serviços financeiros” e não de banco.

“Saiam da visão clássica da banca digital, é muito mais que isso”, disse, por sua vez, o administrador financeiro (CFO), Alexandre Matos.

Por exemplo, foi noticiado na quarta-feira que a Google vai entrar na área dos serviços financeiros.

“Temos de estar atentos” à tendência no mercado internacional, prosseguiu Alexandre Fonseca, apontando que os serviços da Altice Portugal muitas vezes servem “de farol para o mercado”.

“Temos de perceber a capacidade das tendências internacionais”, afirmou, apontando que aquilo que o consumidor procura é “conveniência e comodidade”.

O presidente executivo da Altice Portugal salientou que a empresa tem 46% de quota do mercado móvel, o que “significa que metade dos portugueses tem um telemóvel com serviços Meo”, o que representa um potencial.

Questionado sobre autorizações para prestar serviços financeiros em Portugal, Alexandre Matos disse: “Estamos a percorrer esse caminho”.

Entretanto, Alexandre Fonseca referiu que nos próximos três meses haverá “três ou quatro áreas novas para complementar” a oferta da empresa, fora do seu ecossistema.

“Estamos também a trabalhar em voltar a revolucionar a experiência de televisão e essa será dentro de poucas semanas que será anunciada”, acrescentou o presidente executivo.

O gestor explicou as novidades que a dona da Meo irá apresentar são “áreas complementares às telecomunicações” e “disruptivas por serem novos segmentos de mercado”.

A Altice Portugal espera alcançar a liderança em televisão, único segmento onde não lidera, “seguramente nos próximos seis meses”, referiu o administrador financeiro.

“Não estamos obcecados por essa liderança”, afirmou Alexandre Fonseca, assumindo estar convicto que em breve esta será alcançada.