Álvaro Covões, diretor-geral da Everything is News, garante que o negócio da venda do Campo Pequeno, em Lisboa, ainda não está concluído.

Questionado pelo Observador na apresentação aos jornalistas da exposição dedicada aos filmes de Harry Potter, no Parque das Nações, que inaugura no sábado, o empresário admitiu ter conhecimento das notícias que dão conta da aquisição do espaço por um consórcio composto por si e pelo fundo Horizon Equity Partners, mas disse que “ainda nada está concluído”.

“Sei que têm saído algumas noticias, mas os negócios só são concluídos quando se concluem. Para já, ainda nada está concluído. O concurso ainda está a decorrer, ainda não terminou. Aguardamos serenamente”, afirmou Covões.

Sobre se já tem alguma ideia do que fará com a sala de espetáculos caso o negócio vá em frente, o responsável da Eveything is New apontou que o Campo Pequeno “é um espaço muito virado para os espetáculos”, onde a promotora tem vindo a organizar vários eventos.

“Salvo erro, os The National [que atuam no dia 12 de dezembro naquela sala de concertos] vão ser o nosso décimo espetáculo este ano. A ideia é ter muita música, porque precisamos de espaços para ativar espetáculos. É um espaço fundamental na cidade, ainda por cima bem localizado”, disse o empresário.

O jornal Eco noticiou esta semana que o Campo Pequeno, em processo de insolvência, tinha sido adquirido por um consórcio composto por Álvaro Covões e o fundo Horizon Equity Partners, liderado pelo ex-ministro da Economia Pires de Lima e pelo ex-secretário de Estado das Infraestruturas Sérgio Monteiro. De acordo com a publicação, e contrariamente ao que Covões declarou ao Observador, o consórcio teria ganho o concurso de aquisição da sala de espetáculos lisboeta, faltando assinar a documentação. A operação teria custado 37 milhões de euros, referiu o Eco.