A mensagem do Reino Unido na Web Summit foi clara: “Passemos pelo Brexit ou não, a nossa relação com Portugal mantém-se muito importante, e isso significa o mesmo para startups e scale-ups”, como contou ao Observador Shalini Khemka, consultora da câmara de Londres e diretora no departamento de exportações e finanças do Reino Unido. Numa altura em que o Brexit ainda não avançou, o país enviou um delegação a Lisboa durante a Web Summit para mostrar o seu empreendedorismo (e até teve um autocarro londrino de dois andares nas ruas).

“A Web Summit é a maior conferência mundial em Portugal para startups e, obviamente, o Reino Unido tem um papel muito importante [no ecossistema]. Ter uma plataforma no país para expandir para todo o mundo”. Foi com esta frase que Khemka justificou a aposta do país nesta edição do evento. Parte do investimento feito, além de um stand na FIL, passou também por ter um autocarro a andar por Lisboa a ouvir o pitch de empreendedores portugueses e de outras nacionalidades. “Ajudou a estarmos em muito locais. Fui o júri para os negócios portugueses”, conta Khemka.

O Stand da embaixada britânica na Web Summit

A presença da responsável britânica no evento foi também parte do “Global Entrepreneur Programme (GEP)”, iniciativa do Governo Britânico para atrair startups para o país. Num tempo de decisões do Brexit, este programa quer mostrar que “as portas britânicas continuam abertas para as startups de base tecnológica com potencial de inovar o mercado internacional”.

Durante o percurso do autocarro de dois andares em Lisboa vários empreendedores fizeram o seu pitch

A diplomacia também tem lugar no investimento, como mostrou a Web Summit, mas quanto ao Brexit a própria responsável revela incerteza como citámos acima: “Passemos pelo Brexit ou não”. A certeza é a de manter ligações próximas a Portugal e a Khemka deixou já a promessa de que, no próximo ano, o Reino Unido conta marcar novamente presença na Web Summit.

A cidade de Londres é, atualmente, um do pontos mais cativantes para startups na Europa. Com várias empresas a alterarem a sua sede pelos benefícios que Londres tem, o Reino Unido tenta também com estes programas não perder o estatuto que alcançou no ecossistema.

A Web Summit decorreu de 4 a 7 de dezembro. Este ano, com a presença de oradores como Michael Barnier, o francês negociador do Brexit, e Tony Blair, antigo primeiro-ministro britânico, o Brexit também esteve no palco. Blair, no Centre Stage, chegou a dizer: “Em vez de nos concentrarmos nos problemas reais, ficamos a discutir apenas o Brexit. E quando terminarmos esta saga inacabável, vai estar tudo na mesma”. Horas antes, no mesmo palco principal, Michael Barnier, tinha reiterado a mesma ideia e avisou: “A história não termina aqui”.