A segunda estação de chuvas na Colômbia, que começou em outubro, fez 20 mortos, 66 feridos e um desaparecido, informou este sábado o Governo.

Segundo a agência espanhola EFE, a Unidade Nacional de Gestão de Riscos de Desastres (UNGRD) divulgou, em comunicado, que “foram registadas 214 ocorrências em 155 municípios, em 26 de 32 departamentos”.

O UNGRD informou também que foram afetadas 9.221 famílias, foram destruídas 43 casas e outras 4.607 sofreram algum tipo de dano devido às chuvas.

Os departamentos de Antioquia, Bolívar, Atlántico, Magdalena e Cesar são os que concentram o maior número de famílias afetadas, segundo o mesmo organismo.

“A nossa prioridade será sempre salvaguardar e proteger a vida das comunidades, por isso mantemos as recomendações: estarem atentos às indicações das autoridades e, principalmente, não se exporem quando ocorrem situações de emergência”, disse o diretor do UNGRD, Eduardo José González, citado num comunicado enviado pelo seu gabinete.

A Colômbia tem duas estações chuvosas por ano, a primeira de março a junho e a segunda de outubro a dezembro.

O Instituto de Hidrologia, Meteorologia e Estudos Ambientais manteve o alerta vermelho para os departamentos de Boyacá, Cundinamarca, Antioquia, Caldas, Quindío, Nariño e Meta, devido a deslizamentos de terra.

Ao longo de 2019 já foram registadas 1.276 ocorrências como resultado das chuvas, sendo os vendavais, inundações e movimentos de massa as mais frequentes.

Dessas situações resultaram 125 mortos, 166 feridos e 11 desaparecidos, além de 72.700 famílias afetadas, em 31 departamentos.