O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, perdoou, esta sexta-feira, pelo menos dois militares acusados de crimes de guerra, avança o The Washington Post. Esta decisão contraria a posição do Pentágono e impede que o departamento de defesa dos Estados Unidos prossiga com as acusações contra os envolvidos.

Os militares envolvidos foram notificados por Donald Trump através de uma chamada telefónica, adianta o jornal, citando uma fonte oficial.

Um dos envolvidos é Mathew L. Golsteyn, um militar que enfrenta julgamento depois de ter assassinado, em 2010, um alegado terrorista afegão. O outro é Clint Lorance, acusado em 2013 por ordenar soldados do seu pelotão a abrir fogo sobre três civis no sul do Afeganistão.

As chamadas do presidente dos Estados Unidos foram feitas ao final de um dia marcado pelas audiências relacionadas com o impeachment [destituição] contra Trump, e depois de responsáveis do Pentágono terem apelado ao presidente para que mude de ideias.