O filme português “Vitalina Varela” venceu os prémios de Melhor Realizador, Melhor Ator e Melhor Direção de Fotografia, da Competição Internacional, do Festival Internacional de Cine de Mar del Plata, na Argentina, foi este domingo anunciado.

O prémio de Melhor Realizador foi atribuído a Pedro Costa, ex-aequo com realizadora alemã Angela Schanelec (por “I was at home but”), o de Melhor Ator a Ventura e o de Melhor Direção de Fotografia a Leonardo Simões, de acordo com informação disponível no site oficial do festival cuja 34.ª edição começou no dia 8 de novembro e termina na segunda-feira, na cidade costeira de Mar del Plata, a sul de Buenos Aires.

O prémio de Melhor Longa-Metragem da Competição Internacional foi atribuído a “Lo que arde”, do espanhol Oliver Lax, filme que venceu ainda na categoria de Melhor Argumento.

“Vitalina Varela”, que chegou a 31 de outubro aos cinemas portugueses, no circuito comercial, cineclubes e auditórios municipais, parte da história de uma mulher cabo-verdiana que viveu grande parte da vida à espera de ir ter com o marido, Joaquim, emigrado em Portugal.

Pedro Costa conheceu Vitalina Varela quando rodava o filme anterior, “Cavalo Dinheiro”, acabando por incluir parte da história dela na narrativa e dando-lhe agora protagonismo na nova obra cinematográfica.

O filme de Pedro Costa teve estreia mundial em agosto passado, no Festival de Cinema de Locarno, na Suíça, onde arrecadou os principais prémios do certame, os prémios Leopardo de Ouro e Leopardo de melhor interpretação feminina para a protagonista, que dá nome ao filme.

Em outubro, o filme conquistou também o Silver Hugo, prémio do júri do Festival de Cinema de Chicago, nos Estados Unidos, e o grande prémio do Festival de Cinema de La Roche-su-Yon, em França.

O filme está já selecionado para o Festival Internacional de Cinema de Roterdão 2020, que decorrerá de 22 de janeiro a 2 de fevereiro na Holanda, onde integrará a secção Deep Focus.