A Comissão Mista para a Cooperação Económica e Comercial Angola-China reúne, na quinta-feira, em Luanda, para assinar o Processo Verbal, documento que estabelece as linhas orientadoras para o reforço da cooperação económica, técnica e comercial.

Segundo um comunicado do Ministério das Relações Exteriores, a que a agência Lusa teve esta terça-feira acesso, a VI sessão da Comissão Mista para a Cooperação Económica e Comercial Angola-China será copresidida pelo secretário de Estado para a Cooperação Internacional e Comunidades Angolanas, Domingos Vieira Lopes, e pelo vice-ministro do Comércio da China, Qian Keming.

Após as discussões, as partes vão assinar o Processo Verbal, um instrumento jurídico que estabelece as linhas orientadoras para o incremento da cooperação nos domínios económico, técnico e comercial.

Na reunião, as delegações dos dois países vão avaliar o estado da sua cooperação, agendar as datas para a realização da II sessão da Comissão Orientadora, bem como da VII sessão da Comissão Mista de Cooperação Económica e Comercial, que será realizada na China.

O grau de implementação e eficácia do memorando de entendimento sobre cooperação no domínio do desenvolvimento dos Recursos Humanos, entre outras matérias, são outros dos assuntos a discutir pelas delegações.

O documento refere que, no plano económico e empresarial, a reunião vai servir também para encorajar os empresários de ambos os países a alargar a cooperação industrial, sobretudo nos setores agrícolas e transformador, no âmbito do investimento privado, bem como promover a cooperação a nível provincial e municipal.

As delegações vão ainda apreciar a implementação conjunta das medidas económicas e comerciais das “Oito Ações”, enquadradas no memorando de entendimento relativo à interligação do Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) 2018-2022 de Angola e as “Oito Ações” da Iniciativa Faixa e Rota da China.

O vice-ministro do Comércio da China, que chega esta terça-feira a Luanda, vai ser recebido, na quinta-feira, pela ministra das Finanças angolana, Vera Daves, regressando no mesmo dia ao seu país.

Angola e a China são parceiros de longa data e as relações diplomáticas datam de há 36 anos. O Presidente angolano, João Lourenço, efetuou em 2018 duas visitas à China, sendo a primeira em setembro, por ocasião da Cimeira China-África, e a segunda, no mês seguinte, quando realizou uma visita de Estado. Nas duas deslocações à China, o chefe de Estado angolano manteve encontros com o seu homólogo Xi Ji Ping, tendo como pano de fundo o reforço da cooperação bilateral.

A China continua a ser o primeiro parceiro comercial de Angola e o primeiro importador de petróleo angolano, tendo o volume de negócios entre os dois países atingido, em 2018, 28 mil milhões de dólares (25,2 mil milhões de euros).