A maior bateria de iões de lítio do mundo, similar às que equipam os veículos eléctricos, foi produzida pela Tesla e tem uma capacidade de 129 MWh, o que equivale a 1.290 unidades do Model S. Instalada na Austrália, ao serviço da central eólica de Hornsdale, a imensa bateria destina-se a armazenar a energia dos 99 aerogeradores, que têm uma capacidade de produzir 315 MW, o que equivalente a 428.400 cv.

O dono na central é a empresa francesa Neoen, que conhecemos pelos investimentos realizados em Portugal, no campo das centrais fotovoltaicas, com a Tesla a ter fornecido a Hornsdale Power Reserve, a tal bateria de 50 milhões de dólares com uma capacidade de 129 MWh e capaz de fornecer uma potência de 100 MW, que a Austrália usa para estabilizar a rede nacional naquela região mesmo durante os picos de procura, de forma mais barata do que recorrer a centrais térmicas a combustíveis fósseis.

Segundo a Australian Energy Market Operator (AEMO), a central eólica em paralelo com a enorme bateria é de tal forma eficiente que já terá poupado aos consumidores locais cerca de 50 milhões de dólares australianos, o que significa que está praticamente paga, após apenas dois anos de funcionamento.

A Neoen anunciou agora que pretende expandir a Hornsdale Power Reserve, elevando a sua capacidade de armazenamento de 129 para 193,5 MWh e a potência entregue de 100 para 150 MW, ou seja, um incremento de 50% em qualquer uma das áreas. E como em equipa que ganha não se mexe, será mais uma vez a Tesla a fornecer todo o sistema, de baterias e de gestão de energia, que deverá estar a funcionar na primeira metade de 2020.