O Parlamento Europeu deu por concluído o processo de audições aos comissários designados para a nova Comissão Europeia e decidiu votar o conjunto do colégio na próxima quarta-feira, em Estrasburgo, anunciou esta quinta-feira o presidente da assembleia.

“Chegámos ao final do processo de audições, discussões e avaliações da Comissão, e ficou hoje decidido que na próxima semana, em Estrasburgo, terá lugar a votação do colégio. Se [o voto] for positivo, a Comissão pode começar o seu trabalho em 1 de dezembro”, anunciou David Sassoli, no final da conferência de presidentes do Parlamento Europeia, realizada esta quinta-feira em Bruxelas para preparar a sessão plenária da próxima semana. Sassoli apontou que o Parlamento Europeu está “extremamente satisfeito com o processo” de avaliação aos comissários designados, que admitiu ter sido “difícil”.

Três Estados-membros tiveram de apresentar novos nomes para o colégio, depois de a assembleia ter rejeitado os primeiros nomes apontados por França (Sylvie Goulard), Hungria (László Trócsányi) e Roménia (Rovana Plumb), o que levou a um atraso no início de funções da Comissão Von der Leyen, forçando o atual executivo de Jean-Claude Juncker a prolongar o seu mandato por um mês.

Na semana passada, a assembleia procedeu às audições dos novos comissários designados por Paris, Budapeste e Bucareste, acabando por dar “luz verde” aos novos nomes apresentados, respetivamente Thierry Breton (Mercado Interno), Olivér Várhelyi (Política de Vizinhança e o Alargamento) e Adina Valean (Transportes).

Questionado sobre a ausência de um comissário designado pelo Reino Unido – apesar do prolongamento do ‘Brexit’ além de 31 outubro, Londres negou-se a apresentar um nome antes das eleições legislativas do próximo mês -, o presidente da assembleia apontou que “os serviços jurídicos da Comissão e do Conselho estão de acordo que é possível avançar com um colégio a 27”, e para o Parlamento tal “é suficiente”.

A votação do colégio de Ursula von der Leyen, que inclui a comissária designada por Portugal, Elisa Ferreira, responsável pela pasta da Coesão e Reformas, terá então lugar na próxima quarta-feira, 27 de novembro, em Estrasburgo, e se, como tudo o indica, o voto for positivo, a nova Comissão entrará então em funções já em 01 de dezembro, com um mês de atraso à data inicialmente prevista.

ACC // FPA

Lusa/fim