O ministro de Minas e Energia brasileiro, Bento Albuquerque, disse esta sexta-feira, no Rio de Janeiro, que o programa nuclear é prioritário para o país, acrescentando que o Brasil “pode voltar a sonhar” após períodos de “altos e baixos”.

“O programa nuclear, para o Brasil, é uma prioridade”, declarou o ministro, citado pela Agência Brasil, num evento da Associação Brasileira para o Desenvolvimento de Atividades Nucleares (Abdan), no estado do Rio de Janeiro.

“A Energia Nuclear faz parte da nossa matriz energética. Não podemos abrir mão dos benefícios que ela traz, não só na energia, mas também para a sociedade, como na agricultura e na medicina, fazendo parte do nosso dia a dia”, escreveu ainda Bento Albuquerque na rede social Twitter.

Neste momento, o Brasil, que iniciou o seu programa nuclear nos anos 1950, tem duas centrais nucleares em operação, ambas em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro.

Existe ainda uma terceira, denominada “Angra 3”, com 67% das obras concluídas, mas que foi paralisada em 2015, quando investigações da Operação Lava Jato descobriram um esquema de desvio de recursos por parte das construtoras, e que precisa agora de 16 mil milhões de reais (3,5 mil milhões de euros) para ser concluída.

No entanto, durante o evento desta sexta-feira da Abdan, Bento Albuquerque referiu que a retoma da construção de “Angra 3” está prevista para o próximo ano: “Provavelmente iniciaremos Angra 3 em 2020”.