O Presidente cessante da Guiné e recandidato ao cargo, José Mário Vaz, comprometeu-se a aceitar os resultados das eleições presidenciais de hoje, referindo que “só os não-democratas” não aceitariam o veredito popular.

Em declarações aos jornalistas após ter votado, numa secção de voto instalada junto à União Desportiva Internacional da Guiné-Bissau (UDIB), na Avenida Amílcar Cabral, o chefe de Estado cessante referiu que aceitou os resultados de 2014, quando foi eleito e que agora vai continuar a aceitar.

“O poder não é de José Mário Vaz, é do povo e o povo é soberano, é quem decide sobre o seu próprio destino”, disse, referindo que “aquilo que for a decisão do povo só os não-democratas é que não aceitariam”.

“Eu aceitei em 2014 e com certeza que continuarei a aceitar”, reforçou.

Mais de 760 mil eleitores são hoje chamados a votar nas eleições presidenciais na Guiné-Bissau, escolhendo entre 12 candidatos quem irá suceder a José Mário Vaz, que se recandidata ao cargo.

As urnas encerram às 17h00 (mesma hora em Lisboa).