O primeiro-ministro português disse esta segunda-feira que espera que a Guiné-Bissau encontre o seu “caminho de estabilidade democrática e de paz entre todos”, recordando que esses valores se devem estender a todo o espaço lusófono.

“É muito importante que se tenham realizado eleições, que tenham decorrido sem incidentes e os votos que faço é que a Guiné-Bissau possa encontrar um caminho de estabilidade democrática e de paz entre todos”, afirmou o primeiro-ministro em declarações aos jornalistas em Paris.

António Costa visitou, na manhã desta segunda-feira, a sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em Paris, reunindo-se com a sua diretora, Audrey Azoulay, e os embaixadores dos países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). “É muito importante que hoje em dia todo o espaço da língua portuguesa seja espaço de liberdade, democracia e respeito pelos direitos humanos”, disse ainda o governante português.

António Costa esteve em Paris não só para assinalar a promulgação do Dia Mundial da Língua Portuguesa pela UNESCO, mas também para uma homenagem pública ao artista Manuel Cargaleiro que recebe esta quarta-feira a Ordem de Mérito Cultural da Câmara Municipal de Paris, a medalha Grand Vermeil — a maior distinção que a cidade pode atribuir e que já foi recebida por outros portugueses como Manoel de Oliveira.

No domingo, mais de 760.000 guineenses foram chamados às urnas para eleger o novo Presidente da Guiné-Bissau entre 12 candidatos. A votação decorreu entre as 7h e as 17h (mesma hora em Lisboa). A Comissão Nacional de Eleições anunciou que os resultados provisórios serão divulgados nas próximas 72 horas.