O Benfica precisa esta quarta-feira de contrariar a história e vencer na Alemanha o Leipzig, para se manter na corrida a uma vaga nos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol.

Às “águias” é pedido o que nunca conseguiram, vencer na Alemanha um jogo da Liga dos Campeões, com o clube a ter 11 derrotas em idêntico número de jogos, desde 1961, no seu primeiro duelo com germânicos, e quando era a Taça dos Clubes Campeões Europeus.

Quarta-feira, na quinta jornada do grupo G, ao Benfica só interessa vencer, mas a equipa de Bruno Lage tem tido desempenho sofrível na prova milionária, com três derrotas em quatro jogos, apenas vencendo em casa o Lyon, pela margem mínima (2-1).

Quando recebeu o Leipzig, na segunda ronda, a equipa lisboeta esteve a perder por 2-0, com um “bis” de Timo Werner, e reduziu por Seferovic, um dos ausentes nesta jornada, devido a uma lesão muscular. Fora estará também o internacional português Rafa, lesionado desde o triunfo com o Lyon, em 23 de outubro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Se empatar em Leipzig, mesmo beneficiando da mais favorável conjugação de resultados até ao fim da fase de grupos, o Benfica será afastado da próxima fase da competição, uma vez que terminará em igualdade pontual com Lyon e Zenit de São Petersburgo, mas terá desvantagem frente aos russos no confronto direto. O jogo tem início marcado para as 21h locais (20h em Lisboa) e terá arbitragem do espanhol Jesus Gil Manzano.

No outro embate do grupo G, o Zenit recebe o Lyon, com o apuramento em aberto para os dois emblemas. O grupo é liderado pelo Leipzig, com nove pontos, seguido do Lyon, com sete, do Zenit, com quatro, e do Benfica, com três.