Ficam todos na Europa, neva em todos eles e agora são considerados os países mais seguros do mundo pela International SOS, uma companhia de viagem que estuda quais são os melhores destinos turísticos. São onze: Noruega, Finlândia, Gronelândia, Islândia, Dinamarca, o território norueguês de Svalbard, Suíça, Luxemburgo, Eslovénia, Andorra e Liechenstein. E estão todos na fotogaleria.

De acordo com o Travel Risk Map, o mapa que a International SOS pinta de verde, amarelo, laranja ou vermelho conforme o nível de segurança dos países, esses são os destinos de viagem mais seguros do próximo ano. É assim porque “as taxas de crimes violentos são muito baixas”: “Não há violência política ou desordem pública significativa. E quase não há violência contra estrangeiros”, lê-se na página.

Portugal não pertence a este grupo, mas está entre os segundos melhores ao lado da maioria da Europa, América do Norte e a Austrália. No entanto, entre o grupo em que Portugal se insere, também estão países em crise social, como a China ou o Chile. Segundo a International SOS, nestes países “as taxas de crimes violentos são baixas” — mas não “muito baixas” — e a violência contra estrangeiros é “pouco comum”. O que as separa dos melhores destinos do mundo? Estão debaixo da ameaça terrorista, embora os ataques sejam “raros”.

Do outro lado do espetro, entre os países mais perigosos do mundo, estão, por exemplo, a Líbia, o Afeganistão ou a Somália. Carregados de vermelho no mapa, a companhia de viagens acredita que são um “caso extremo” em que “o governo tem mínimo controlo”, os viajantes estão em constante “ameaça” e a situação social e política é tão grave que “partes do país são inacessíveis”.